O que é Constelação Familiar Sistêmica?

E como ela pode ajudar você a viver uma vida mais leve!

De tempos em tempos, determinadas abordagens ganham a atenção da mídia passando assim uma ideia ao grande público, de ser algo recém descoberto em sua prática. Alguns olham com desconfiança, se fechando para entender do que se trata, outros, movidos pela novidade logo querem conhecer e até mesmo experimentar. Com a Constelação Familiar, isso não está sendo diferente.
É raro um só dia que não recebemos uma ligação, ou uma mensagem em nossas redes sociais de alguém buscando entender, afinal, de que se trata essa tal Constelação Familiar?

"Tem algo haver com astrologia?", "Com o meu destino na minha família?", "Com saber o porquê certas coisas acontecem comigo?", "Posso fazer uma para ver como é que é?", "Isso é para saber de alguma vida passada?" Essas são algumas das indagações mais comuns que ouvimos no primeiro contato de alguém com essa abordagem, de nome um tanto místico para nós brasileiros. 

A Constelação Familiar tem ganhado palco em vários cenários, graças a seriedade com que profissionais pioneiros em nosso país, estão conduzindo esse trabalho. Um que tem ficado bastante conhecido é o do Dr. Sami Storch, que através das Constelações Familiares, tem levado para o direito um novo olhar, amoroso e resolutivo para os conflitos familiares.

Assista o vídeo de uma matéria realizada pelo Fantástico em Maio de 2017 sobre as Constelações Familiares no Judiciário Brasileiro. 

undefined
Sem a menor dúvida, esse trabalho tem contribuído para que esta abordagem ganhe mais notoriedade, respeito e uma curiosidade de quem não fica só em interpretações rasas, mas que quer conhecer a fundo as possibilidades existentes através de todo esse movimento. 

Mas afinal, do que trata a Constelação Familiar?

A Constelação Familiar Sistêmica é uma abordagem criada e organizada principalmente a partir das observações do psicoterapeuta alemão Bert Hellinger. Durante alguns anos, Bert foi missionário na África, onde conviveu com tribos e pode assim observar as dinâmicas de relacionamento, que mesmo quando não verbalizadas, conduziam o grupo a um tipo de ordem coletiva.
Ele percebeu que essas ordens agiam sob os indivíduos que pertenciam ao grupo e quando desrespeitadas de alguma maneira, mesmo que de forma inconsciente, isso resultava em conflitos e circunstâncias, que conduziam seus membros em consequências por vezes trágicas e assim, restabelecia-se de alguma maneira a ordem maior do bem coletivo. 
Desta forma, ele nomeou essa sabedoria oculta em "Ordens do amor", organizando-as em 3 Leis a que todos estamos sujeitos. 

São estas Leis;


Lei do Pertencimento: ''Todos os membros da família possuem o direito de pertencer ao sistema. Se algum membro for excluído, outro membro tomará o seu lugar, repetindo o seu destino."

undefined
Lei da Hierarquia ou da Ordem: ''Os que chegaram antes estão acima dos que chegaram depois, incluindo os pais que chegaram antes dos filhos. Sem Ordem não há amor.''

undefined

Lei do Equilíbrio - Dar e Receber: '' O que dá e o que recebe conhecem a paz se o dar e o receber forem equivalentes. O equilíbrio entre o crédito e o débito é fundamental em todos relacionamentos 

undefined
A Principal razão por que a Constelação Familiar funciona.
Somos seres coletivos, e só chegamos até aqui, sendo possível que você leia estas linhas agora por uma razão: Aprendemos a nos agrupar. Nos agrupamos para sobreviver, para conquistar, para nos defender, para construir, para ser mais fortes. Dessa forma, o pertencimento é algo tão enraizado em nós até os dias de hoje, que até mesmo o neuromarketing e estudos de comportamento de compra do consumidor estão atentos a isso.

Fomos programados pela evolução para sacrificar tudo o que for necessário pelo bem maior da espécie humana, e fazemos isso a partir do nosso primeiro grupo, nosso sistema familiar. Nesse sentido, não importa qual foi a sua história, se seus pais foram bons ou não foram adequados, todos nós já chegamos aqui programados por anos de engenharia biológica, para sermos leais ao grupo que pertencemos.

Na maioria das vezes, a nossa tentativa desordenada de seguir de forma diferente daqueles que vieram antes de nós, é o que nos faz emaranharmos a história passada e repetir justamente o comportamento que abominamos. Já disse Freud, aquilo que reprimimos ganha força. Sendo assim, aquilo que muitas vezes não foi possível de ser percebido onde deveria, (afinal reprimimos), é projetado nos outros sistemas que iremos pertencer mais tarde. Nossos relacionamentos amorosos e seus frutos, ou seja, nossos filhos. Na profissão, no ambiente profissional, em nossa vida financeira e todos os círculos sociais que estamos de alguma maneira envolvidos. 

As Leis que regem as relações humanas não precisam do conhecimento da pessoa para estar em ação, não é uma questão de escolha. Um exemplo semelhante, é a Lei da Gravidade na física, por exemplo, independente de você conhecer ou até mesmo crer nela, ao soltar um objeto no ar, inevitavelmente ele vai cair. O mesmo acontecerá com as Leis sistêmicas, se em desarmonia o fluxo da natureza humana se interrompe e problemáticas vão acontecer. Você pode até mudar o curso de um rio, mas não espere que aquele ecossistema não seja afetado. 

O que significa na prática Constelar algo?

O papel das Constelações é bem maior do que apenas trazer essas dinâmicas ao nosso conhecimento. Por vezes estamos tão envolvidos pelas próprias necessidades e circunstâncias de vida, que não somos capazes de perceber sozinhos onde afinal estamos em desordem. É possível então, recriar em ambiente terapêutico os desafios que estamos vivenciando. Através de ferramentas que facilitam a nossa interação e compreensão. O Terapeuta Constelador conduz o cliente para olhar aquilo que ele vive, mas agora, a partir de uma nova perspectiva. Dessa forma, a nova postura se torna verdadeira e natural para aquele indivíduo.

Geralmente quando falamos em postura, temos a tendência de verificar apenas nossas ações e comportamentos externos. Mas, postura são também nossos pensamentos e sentimentos. De nada adianta aparentemente estarmos agindo de forma que acreditamos ser a mais adequada, se nossa postura interna não se faz congruente. 

Em uma escala de prioridades, a forma como nos sentimos tem um poder muito maior em nossos resultados e na maneira que afetamos o nosso redor, não se trata de pensamento positivo e sim de neurociência. Isso por que a maior parte da nossa comunicação é não-verbal. Emitimos informações muito mais pela linguagem corporal e tom de voz do que pela fala. Quando mudamos a maneira como nos sentimos e elaboramos nossos conteúdos emocionais, mesmo que seja a respeito de algo passado, os resultados externos aparecem com muito mais força e sustentabilidade. Razão esta, pela qual pessoas relatam ter resolvido conflitos que foram arrastados por anos, como ''mágica'' a partir de uma Constelação Familiar. 

É comum inclusive relatos como: "Minha mãe mudou da água para o vinho", ''Meu marido agora fala comigo de forma diferente", ''Meu chefe agora me reconhece no trabalho'', entre outras semelhantes. O que muitas vezes essas pessoas não percebem em um primeiro momento, é que ela e sua postura interna, eram os principais agentes desses conflitos. Quando mudaram de forma inteira, tudo aquilo que emitiam, a forma com que se comportam e as reações espontâneas no dia-a-dia, também mudaram. 

Se você quiser mergulhar um pouco mais no assunto acerca das nossas emoções, sugiro ler o artigo: Prisioneiro das Emoções - Quando Buscar a Terapia?

Por que este nome Constelação?Tem alguma coisa relacionada a alguma religião? 

Para nós brasileiros, a palavra Constelação soa como algo místico, exotérico. Mas, em absolutamente nada, a Constelação se refere a uma religião ou qualquer tipo de misticismo. Esse nome um pouco confuso e sugestivo para nós, chegou assim devido a traduções literárias da obra de Bert Hellinger. A primeira tradução foi para o Inglês, onde o verbo alemão ''Stellen'' recebeu a tradução para ''Constellate'' que significa, configurar certos elementos em uma configuração dada. A partir de então, quando traduzido do inglês para o português, ficou com este nome de Constelação Familiar. 

Quantas vezes é necessário Constelar? 

Diante de uma possibilidade tão fantástica, muitos são aqueles que chegam com mil temas para trabalhar a partir de uma Constelação Familiar. Acreditando que fazendo muitas sessões, rapidamente resolverão todos problemas de sua vida. Muita calma nessa hora pequeno gafanhoto para não cair em uma cilada. Esse processo não é como buscar um produto em um supermercado, onde eu pego aqui, pago ali e já sei o que vou encontrar quando abrir a sacola. Nossa vida é complexa, profunda, e não cede aos nossos caprichos e desejos infantis (para nossa felicidade).

Não é necessário constelar mil vezes, aliás aqueles que chegam de forma adulta e dispostos, realmente a mergulharem no que é essencial, provavelmente constelarão pouquíssimas vezes na vida. Lembre-se do que eu disse mais acima, a maior parte de nossas dificuldades tem inicio no sistema original ou seja, o primeiro relacionamento que estabelecemos na vida - Pai, Mãe e Filho. Todos os outros vieram depois, e apesar de terem sua cota de influência em nossa vida, eles possuem muito menos força e impacto quando estamos com as nossa estruturas firmes e seguras.

Não recomendamos portanto que você vá com muita sede ao pote, e se permita vivenciar de forma madura este processo. Se um dia acreditar ser necessário constelar algo, busque um profissional que sinta confiança e que conduza esse trabalho para proporcionar a você o que realmente precisa. Constelar muitas vezes sem realmente ter uma questão definida, só por curiosidade, capricho, ou arqueologia familiar, corre-se o risco de duas coisas: Não ser Constelação de fato ou emaranhar-se ainda mais naquilo que não compete a nós xeretar. 

Como participar de uma Constelação Familiar?

Inicialmente a Constelação ficou conhecida em eventos e dinâmicas em grupos, o que leva algumas pessoas a acreditar que há uma maneira correta ou melhor dela ser feita. É importante ressaltar que isso é um equívoco, por que ela não é simplesmente uma técnica, e sim uma filosofia que pode ser aplicada como abordagem terapêutica. 

Assim, há duas maneiras de encontrar e se fazer Constelação, individualmente ou em grupo. 

Constelação em Grupo: A Constelação em grupo geralmente é um evento onde há aqueles que vão apenas para assistir e os outros participantes que irão constelar. Os participantes que vão constelar, são chamados um por vez e expõem qual questão gostariam de olhar a partir da Constelação Familiar. Feito isso, o Constelador pode pedir que alguns dos espectadores sirvam como representantes para cena a ser criada. Mesmo que aquele representante não tenha conhecimento da história daquele constelado, este ao se colocar em observação e permitir perceber os sentimentos que surgem, traz informações antes não percebidas daquela situação. 

Por essa razão, algumas pessoas ficam confusas e pensam se tratar de uma dramatização. Mas não há nada pré-estabelecido em uma Constelação Familiar. Os representantes são livres e ao se colocarem disponíveis para observar algo, acessamos o que Bert Hellinger chama de campo morfogenético ou campo de informação. Outros autores falaram a respeito do tema de forma similar como, Jung com o inconsciente coletivo. 

Os campos morfogenéticos é um assunto um tanto quanto complexo, e tema para um outro artigo, mas é possível saber mais a respeito através dos estudos sobre Campos Mórficos do biológo Rupert Sheldrake.

Constelação Individual: Diferente da dinâmica em grupo, a Constelação individual é feita somente entre o Terapeuta e o cliente. As mesmas informações podem ser alcançadas e o que difere é somente a forma. O terapeuta pode utilizar de elementos facilitadores, como boneco, desenhos, âncoras de solo, ou até mesmo de forma imaginativa. Cliente e Constelador são também de certa maneira representantes daquela dinâmica, e o movimento de observar faz com que emoções, sentimentos e informações antes ocultas, sejam vistas e trabalhadas. 

Constelação Online: Hoje a tecnologia nos auxilia de diversas formas, não é diferente nessa questão. Através de uma plataforma 3D que disponibiliza em um ambiente virtual a mesma plataforma de bonecos que utilizamos presencialmente, é possível realizar uma sessão de Constelação Familiar com pessoas do mundo todo. É necessário que o cliente tenha uma boa conexão e um computador ou notebook com uma câmera. Além disso, um ambiente tranquilo e sem intervenções é fundamental para que o cliente aproveite o máximo daquele momento. 

Muitas pessoas perguntam sobre em qual forma é mais eficaz. Eu costumo dizer que a melhor forma é a que é feita, em relação a eficácia, nenhuma se difere da outra, apenas a forma de realizar a dinâmica é que é um pouco diferente. 

No Ágaphe nós realizamos todas as formas citadas acima. Atualmente, os grupos são marcados com antecedência devido a agenda dos Consteladores. De forma individual, seja presencial ou online é possível marcar de segunda a sexta pelo WhatsApp: (17) 98135-0262 ou CLICANDO AQUI!

E então, gostou de conhecer mais sobre as Constelações Familiares? Ainda tem alguma dúvida?

Compartilhe esse artigo para ajudar mais pessoas a terem acesso a esta informação! 


undefined
Aline Cristiane Gatti 
Terapeuta Sistêmica & Especialista em Negócios 

#conteudo2#

#htmlPersonalizado#