Onde estão seus limites?

Quatro grandes insights que tive com a corrida!

A coisa mais comum que escuto quando falo da corrida é “Eu não consigo correr de jeito nenhum”. Então eu resolvi compartilhar um pouco do que aprendi com esse desafio, porque, diferente do que talvez possa parecer agora, um dia ele foi tão grande para mim que eu também repeti aquela frase!

Por alguns anos eu passei por várias situações que demandaram muita energia emocional e adaptações, como mudança de cidade, de emprego, de relacionamento, problemas familiares... Enfim, com a tensão e ansiedade, descontava tudo na comida. Nunca me identifiquei com nenhum exercício físico que eu realmente sentisse prazer em fazer!

Em agosto de 2013, eu estava muito acima do meu peso, tinha engordado 16 kg em um ano sendo que já estava fora de forma antes. No ano seguinte consegui emagrecer apenas 5kg com a alimentação. Fica claro que as condições não eram as mais favoráveis!

Foi em Junho de 2014 que eu vi uma postagem no Facebook a respeito de um desafio baseado na corrida; aquilo me chamou a atenção, e eu resolvi visitar uma equipe de corrida!

Esse foi o primeiro aprendizado:

Eu não questionei o grau de dificuldade de correr e nem como isso seria feito!

Quando você determina um objetivo, você se baseia no que realmente quer ou no que se julga capaz de alcançar?

Eu simplesmente não tinha ideia de como seria isso!Não parei para pensar em como eu, que quase morria nas aulas de Educação Física, e só de subir escada já ficava fôlego, ia correr.

Fui no primeiro dia imaginando que eu ia só bater um papo com o treinador observar e ficar ali tranquila, vendo o pessoal correr, mas, para minha surpresa, ele já me “chamou para o jogo” e me colocou para treinar. Diferente do que a maioria acredita o correr era só um “trotinho” de leve para ele ver como eu responderia!Eu não questionei, eu só fiz! Simples assim! Portanto, sem questionamentos, sem limites!

Comecei a ir aos treinos e aí veio o segundo aprendizado:

Ter um mentor que conhece o caminho vai te ajudar a reduzir as dificuldades iniciais, que é quando a maioria desiste! É fundamental que essa pessoa compre o seu objetivo com você! Isso foi muito importante para que eu não ficasse questionando os obstáculos e me focasse só na ação. Eu sabia que eleseram apenas uma parte do caminho, e que eu não estava sozinha.


Se outros já tinham feito, eu também podia fazer, e meu treinador me passava conhecimento, confiança e apoio!

Em 2 meses de treino teve uma corrida na minha cidade. Na equipe a animação toma conta, todo mundo comentando, e eu me inscrevi acreditando que eram 5 km. Sim, eu fiz uma corrida com 2 meses de treino e aí veio o terceiro grande aprendizado:

Não eram 5 km; eram 7 km!

Meu único objetivo era terminar a prova sem caminhar.Quem nunca viveu essa experiência pode estar pensando - Como assim?! Você não viu a distância? Não, eu não vi! É muita gente, música, agitação; eu estava tão animada de estar ali que até esqueci os detalhes!

Cinco para mim eram muito e, quando eu percebi que tinha corrido dois quilômetros a mais, só uma coisa me veio à cabeça:

Por que damos menos de nós quando podemos mais?

Se soubesse antes a distância do percurso será que eu teria me desafiado? 

Somos do tamanho que pensamos ser, ou pensamos de acordo com o tamanho que somos? - Somos do tamanho que decidimos nos tornar!

Nós acreditamos que corrida é um esporte individual. Você corre sozinho, certo?! - Errado!

Você corre com a sua mente, e ela é o maior peso que você carrega!

Não são os quilos a mais, nem o seu problema no joelho, nem a falta de fôlego que dificulta o caminho, e sim aquela voz interior que vai tagarelando no seu ouvido - “Ta maluca?! 12 km vão te matar!” “Nossa que dor na canela!” “Ih, olha ali: está todo mundo olhando pra você” “Ai, hoje eu não tô legal; acho que não é um bom dia pra correr” “Nossa, por que eu vim?! Devia ter ficado na cama.”.

O que vou te contar agora foi o maior aprendizado que a corrida me trouxe e mudou toda minha forma de encarar os desafios na vida!

Depois do segundo quilômetro essa voz começa a silenciar.
 

Sua mente literalmente se cansa; quando ela vê que você não vai parar, ela desiste de parar você! E, pasmem, começa a te apoiar!

Essa foi a melhor técnica de autocoaching que conheci! Quando o barulho mental cessa, as crenças que estão atrapalhando ficam mais nítidas e é mais fácil identificá-las! Se já está fazendo algo que parecia tão difícil e viu que não é! O que mais pode fazer?

Não posso deixar aqui de te fazer um convite para que pratique um esporte que leve a exaustão, não só pelo benefício físico da prática, mas por ser uma forma eficaz de trabalhar seu treinador interno, ainda mais se você estiver em busca de um grande objetivo! 

Em maio de 2015 eu corri a Tribuna em Santos/SP - completei 10 km, e ver a linha de chegada foi uma das melhores sensações que eu tive na vida! Pouco me importa o tempo que o percurso levou, o que me importa é que eu fiz algo que um dia parecia impossível para mim, e a partir desse dia a palavra limites ganhou outro significado!

Não importa se depois deste texto - você irá correr, ou se tem outro objetivo em mente, caminhar, ler mais este ano, parar de fumar, emagrecer, começar seu próprio negócio, estudar algo novo, ficar milionário; são infinitas possibilidades. Você pode escolher qualquer coisa; o meu único convite é PENSE GRANDE!

Quando você atinge algo grande, você se torna grande!

Não importa o tamanho do seu sonho, nem quão grande é o seu objetivo; só continue se movendo e, a cada ação, ficará mais fácil! 

É assim na corrida, é assim na vida!


#conteudo2#

#htmlPersonalizado#