Em Que Situação a Constelação Familiar é Indicada?

Um guia prático para buscar corretamente a Constelação Familiar.

Não são raras as vezes em que vivenciamos ou até mesmo conhecemos pessoas que estão há anos arrastando um determinado problema ou situação difícil, nos mais diversos cenários da vida cotidiana. 

Por outro lado, cada vez mais pessoas tem se beneficiado e relatado uma mudança significativa e até mesmo a solução de vivências problemáticas a partir de terem feito a Constelação Familiar.

Isso surpreende aqueles que estão tendo o primeiro contato com este método, de nome que não deixa claro como essa “mágica” acontece.

Por se tratar de uma terapia breve, o atendimento é feito geralmente em apenas uma sessão. Então, fica a pergunta para muitos: “Como é possível solucionar algo que estou a tanto tempo sem conseguir resultados, em apenas uma única sessão?”

A brevidade deste encontro não significa que ele seja superficial, muito pelo contrário, ele apenas funciona de forma diferente a outras técnicas existentes. A Constelação Familiar permite ser possível aprofundar-se até as verdadeiras causas de uma questão difícil tornando muito mais fácil e assertiva os movimentos para a solução.

Mas afinal, em que se baseia Constelação Familiar?

A Constelação Familiar é uma Abordagem terapêutica que trabalha a partir dos efeitos dos nossos vínculos familiares e também dos acontecimentos significativos da história da nossa família, mesmo quando não os conhecemos.

Ela tem por base principalmente os estudos do Psicoterapeuta alemão Bert Hellinger que há mais de 40 anos começou a observar as dinâmicas de relacionamentos que por vezes veladas, mas, que mesmo assim desdobravam-se em efeitos em seus integrantes.

Ele nomeou e definiu em 3 as sabedorias inconscientes que chamou de Ordens do Amor, que regem o comportamento dos grupos familiares. Quando estamos por qualquer razão que seja saindo desde direcionamento, e indo contra o fluxo dessa conduta, de forma consciente ou inconsciente, acabamos por ter como consequência, problemas que ao serem enfrentados, nos conduzirão de volta ao respeito dessas ordens.

Quando então devo buscar a Constelação Familiar?

A Constelação Familiar é sobretudo para momentos importantes de vida. Através dela é possível identificar quando algo tem realmente um vínculo sistêmico, ou seja, está relacionado ao seu sistema familiar e não apenas ao comportamento e escolhas conscientes do indivíduo.

Os temas que podem ser trazidos para serem trabalhados em uma Constelação Familiar são abrangentes. Podem então partir de questões de desafios pessoais, dificuldades em relacionamentos interpessoais de todas as ordens, questões de saúde física e emocional, questões relacionadas a profissão e negócios, finanças entre outras. Isso por que os nossos resultados e cenários atuais foram em sua maioria conduzidos ao longo da vida por decisões e escolhas inconscientes, carregadas de conteúdos emocionais aquém de nós mesmos e de nossa história particular.

Para saber se algo é uma questão a Constelar, você pode se questionar:

 - Essa dificuldade/situação já aconteceu antes de forma similar em minha vida?

 - Mesmo com meus esforços para mudar uma situação, percebo que esta se repete como um padrão em minha vida?

 - Eu consigo perceber que há um problema, mas mesmo que eu me esforce não consigo solucionar.

Se você respondeu afirmativamente a Constelação Familiar com certeza é uma boa escolha para você!


Como a Constelação vai funcionar para mim?

A Constelação Familiar encontra cenário propício para atuar quando partimos de questões realmente importantes e significativas para o (Constelado - cliente que trabalha seu tema). Isso por que quem vem até esta terapia, precisa estar disposto a vivenciar de maneira profunda e verdadeira aquela questão, além de permitir os movimentos de solução a partir de uma nova postura emocional e ações práticas no dia-a-dia.

 Saímos de uma Constelação mais conscientes e responsáveis sobre nossa própria vida. Mais do que conduzir ao ‘’O que’’ deve ser feito, esta abordagem nos coloca diante do ‘’Como’’ devemos nos posicionar diante da vida.

Uma mudança de perspectiva muda o nosso olhar para com toda nossa vida. A própria neurociência traz a luz do nosso conhecimento que experiências vivenciais profundas, tem em si muito mais força para proporcionar mudanças ao indivíduo, por que através dela construímos novas sinapses neurais. Isso permite que criarmos com mais facilidade soluções antes não vistas e percebidas para uma situação.

Como peças insubstituíveis desta engrenagem chamada sistema familiar, automaticamente ao mudar o nosso olhar e a nossa postura, aqueles a quem fazem parte deste enredo também são de certa forma atingidos pelos movimentos da Constelação.

E Aqueles que nunca tiveram conhecimento das Ordens?

As ordens ou leis descritas por Hellinger, podem ser comparadas a Lei da Gravidade, condição esta a qual todos estamos sujeitos, tendo conhecimento dela ou não.  O fato de alguém não a conhecer, não faz com que ela possa voar ao pular de um prédio. O mesmo ocorre com aqueles que nunca ouviram falar das Ordens que direcionam os relacionamentos humanos de Bert Hellinger, estamos sujeitos a elas por que somos humanos e todos chegamos a mesma maneira neste mundo, por mais diferentes que as condições tenham sido.

A primeira Lei é chamada Lei do Pertencimento.

Ela fala sobre o direito a que todos aqueles que foram gerados tem de pertencer ao sistema a qual vieram. Mesmo quando por qualquer razão que seja, aquele integrante aparentemente não se ‘’encaixe’’ ao padrão daquele sistema, ou até mesmo aqueles que não concluíram sua jornada a vida, que é o caso de abortos espontâneos e provocados. Estes membros tem seu lugar neste sistema e quando esquecidos, escondidos ou excluídos de alguma maneira, são ‘’revelados’’ através de sintomas e dificuldades nas mais variadas situações.

A segunda Lei é a Lei da Ordem ou Hierarquia

Ela nos diz que aqueles que vieram antes de nós tem precedência no sistema, e por essa razão devem ser respeitados de acordo com o tempo de chegada. Assim o mais velho tem prioridade e a sua posição garantida. Não se trata apenas de uma regra de boa educação aos mais velhos, e sim um sentimento de reverência ao significado que estamos aqui por que eles chegaram antes. Respeitar essa Hierarquia e o modo de ser destes que chegaram primeiro é garantir sobre tudo o respeito a um fluxo que não pode ser interrompido. Quando os membros de um sistema estão fora do seu lugar, a relação entre eles entra em desequilíbrio, gerando brigas, pesos, injustiças e cobranças.

A terceira Lei, é a Lei do Equilíbrio.

Ela garante a oportunidade de todos dentro de um sistema de darem e tomarem com a mesma possibilidade. É como se existisse uma conta emocional entre os que se relacionam em que o equilíbrio é sempre o zero. Se alguém está tomando mais do que está dando este desequilíbrio se evidencia em outras circunstâncias e situações de vida.

Como encontrar um Terapeuta em Constelação Familiar?

O Ágaphe está localizado na cidade de São José do Rio Preto, interior de São Paulo. Através de seus fundadores Leandro Xavier e Aline Gatti, conta com mais de 15 anos de experiência em trabalhos de ordem terapêutica.

Os atendimentos individuais são realizados com agendamento prévio sejam eles, presencial ou online.

Para agendar basta entrar em contato pelo Telefone ou Whatsapp: (17) 98135-0262.

Além dos atendimentos também realizamos Formação em Constelação Familiar e Consultorias Sistêmicas para Empresas. Saiba mais clicando em Formação ou Empresas.

undefined
Aline Cristiane Gatti 
Terapeuta Sistêmica & Especialista em Negócios 


#conteudo2#

#htmlPersonalizado#